Lições de Célula

Ap. Leila

22 – Oração eficaz

1 – Definição:

“Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e tudo o que há em mim bendiga ao seu santo nome. Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e não te esqueças de nem um só de seus benefícios. Ele é quem perdoa todas as tuas iniquidades; quem sara todas as tuas enfermidades; quem da cova redime a tua vida e te coroa de graça e misericórdia; quem farta de bens a tua velhice, de sorte que a tua mocidade se renova como a da águia.” Salmos 103:1-5

Orar é entrar na presença de DEUS para adora-lo pelo que ELE É, agradecer pelo que ELE faz e expor as nossas necessidades.

Oração é uma comunicação verbal do crente com Deus. Logo se há comunicação é por que Deus fala com o homem. Fica também bem claro que Deus escuta todas as orações, mas ouve apenas algumas.

 2 – Por que devemos orar?

2.1 – Jesus deu o exemplo

“E, despedidas as multidões, subiu ao monte, a fim de orar sozinho. Em caindo a tarde, lá estava ele, só.” Mateus 14:23

2.2 – Jesus ordenou

“Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto e, fechada a porta, orarás a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará. E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios; porque presumem que pelo seu muito falar serão ouvidos.” Mateus 6:6,7

2.3 – É Uma forma de batalhar

“Finalmente, irmãos, orai por nós, para que a palavra do Senhor se propague e seja glorificada, como também está acontecendo entre vós; e para que sejamos livres dos homens perversos e maus; porque a fé não é de todos.” 2 Tessalonicenses 3:1,2

2.4 – Deus se move ao nosso favor pela oração

“Os olhos do Senhor repousam sobre os justos, e os seus ouvidos estão abertos ao seu clamor.” Salmos 34:15

3 – Como devemos orar?

3.1 – Ao PAI

“Naquele dia, nada me perguntareis. Em verdade, em verdade vos digo: se pedirdes alguma coisa ao Pai, ele vo-la concederá em meu nome.” João 16:23

3.2 – Pelo FILHO Jo 16:23-24

“Naquele dia, nada me perguntareis. Em verdade, em verdade vos digo: se pedirdes alguma coisa ao Pai, ele vo-la concederá em meu nome. Até agora nada tendes pedido em meu nome; pedi e recebereis, para que a vossa alegria seja completa.” João 16:23,24

3.3 – No ESPÍRITO SANTO

“Deus é espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade.” João 4:24

“Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis. E aquele que sonda os corações sabe qual é a mente do Espírito, porque segundo a vontade de Deus é que ele intercede pelos santos.” Romanos 8:26,27

“Vós, porém, amados, edificando-vos na vossa fé santíssima, orando no Espírito Santo,” Judas 1:20

4 – Quais são os tipos de oração?

4.1 – Louvor e gratidão: É expressar o reconhecimento dos feitos do Senhor.

“Entrai por suas portas com ações de graças e nos seus átrios, com hinos de louvor; rendei-lhe graças e bendizei-lhe o nome.” Salmos 100:4

4.2 – Adoração: É declarar o que Deus É. “Tu és soberano, tremendo em Teus feitos…”

“Vive o Senhor, e bendita seja a minha rocha! Exaltado seja o Deus da minha salvação,” Salmos 18:46

4.3 – Intercessão: É colocar a necessidade do próximo diante de Deus.

“Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graças, em favor de todos os homens, em favor dos reis e de todos os que se acham investidos de autoridade, para que vivamos vida tranquila e mansa, com toda piedade e respeito. Isto é bom e aceitável diante de Deus, nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade.” 1 Timóteo 2:1-4

4.4 – Como Súplica: É pedir por sua próprias necessidades pessoais.

“Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças.” Filipenses 4:6

5 – Posso ter uma oração eficaz?

5.1 – Ser equilibrado: é dividir o tempo de oração com os quatro elementos básicos vistos acima na ordem já estudada. Como testifica o Pr. João Carlos, a súplica deve tomar o menor tempo possível do período de oração.

5.2 – Ter organização: Preparar uma lista com seus pedidos de oração, para não cair na falta de esquecer algum pedido ou ficar só na intenção de alcançar o alvo.

“Damos, sempre, graças a Deus por todos vós, mencionando-vos em nossas orações e, sem cessar,” 1 Tessalonicenses 1:2

“e não vi outro dos apóstolos, senão Tiago, o irmão do Senhor.” Gálatas 1:19

5.3 – Fazer pedidos específicos: é preciso orar de modo definido, ou seja objetivo, pois só assim podemos ver claramente as respostas da oração.

“Elias era homem semelhante a nós, sujeito aos mesmos sentimentos, e orou, com instância, para que não chovesse sobre a terra, e, por três anos e seis meses, não choveu.” Tiago 5:17

5.4 – Ser persistente: não abandonar os assuntos por não vermos imediatamente a resposta, nem negligenciar o tempo de oração.

“Se, porém, algum de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e nada lhes impropera; e ser-lhe-á concedida. Peça-a, porém, com fé, em nada duvidando; pois o que duvida é semelhante à onda do mar, impelida e agitada pelo vento. Não suponha esse homem que alcançará do Senhor alguma coisa; homem de ânimo dobre, inconstante em todos os seus caminhos.” Tiago 1:5-8

“Disse-lhes Jesus uma parábola sobre o dever de orar sempre e nunca esmorecer:” Lucas 18:1

5.5 – Confessar a Palavra de Deus, é Ela a garantia de recebermos.

“Se permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito.” João 15:7

6 – Sete passos da oração

1º – Ações de Graças;

2º – Louvores ao Senhor;

3º – Confissão de pecados;

4º – Intercessão;

5º – Confissão da Palavra de Deus;

6º – Confissão dos alvos;

7º – Oração em línguas.

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
Compartilhar no print